Como os drones vão revolucionar as entregas por delivery

A tecnologia evolui muito nos últimos anos. É incrível como agora é possível se comunicar com qualquer pessoa do mundo apenas com um celular. Além disso, temos avanços ainda maiores, como os veículos elétricos, que não poluem o ambiente.

Dentro desse avanço da tecnologia temos também a entregas feitas por drones. Isso já começou a ser testado e tem ganhado cada vez mais espaço.

Introdução

Às onze da manhã de 16 de novembro, a Domino’s – a conhecida cadeia de pizzarias de origem americana – fez sua primeira entrega de pedidos através de um drone. Seu cliente estava esperando a pizza em Whangaparaoa, 25 quilômetros ao norte de Auckland, na Nova Zelândia.

O veículo aéreo não tripulado – o DRU Drone da empresa Flirte – foi controlado de forma autônoma por navegação GPS, sendo supervisionado por uma equipe de especialistas.

“Investimos nessa tecnologia porque acreditamos que a entrega de drones será um componente essencial do nosso serviço”, disse Don Meij, CEO do Grupo Domino’s, em uma coletiva de imprensa.

A Domino’s não é a primeira empresa a fazer isso. Em 2014, o restaurante italiano Francesco’s Pizzeria voou uma pizza em sua caixa de suas instalações no distrito de Lower Parel, em Mumbai (Índia), para um cliente que estava no telhado de um arranha-céu em Worli, com uma distância de aproximadamente um quilômetro.

Mas as pizzarias não são as únicas que apontam para a tendência. A Mansion at Casa Madrona, um hotel de luxo na Califórnia, oferece aos seus hóspedes da Suíte Alexandrite um champanhe que chega ao quarto através de um drone.

Diante de tais experimentos, fica claro que saber como ganhar dinheiro com drone é essencial nos dias de hoje. Isso porque, pilotar um drone lhe dá a oportunidade de trabalhar em diversas áreas.

O uso da tecnologia no setor de logística

Fala-se muito sobre o impacto de robôs, drones e carros autônomos na distribuição e logística. Mas em que essas mudanças realmente consistirão? Como as empresas e os consumidores perceberão isso em suas vidas diárias?

A resposta está no 5G ou na quinta geração de tecnologia móvel. No campo da logística e distribuição, a nova (e poderosa) rede sem fio que o 5G trará às cadeias de suprimentos uma velocidade e eficácia nunca antes vistas.

Economizar tempo e flexibilidade serão dois dos principais benefícios para os centros de logística. Latência – o tempo que leva para a rede responder a um pedido – é a palavra-chave. São necessários mais de 150 milissegundos para que os seres humanos reajam a um estímulo externo. A conectividade 5G pode reduzi-la para cinco.

Assim, a baixa latência permitirá que robôs que agora encomendam e distribuem pacotes de forma autônoma em muitos armazéns interajam e processem informações entre si de maneira mais rápida e segura e, acima de tudo, sem estarem conectados a uma unidade de controle.

Existem muitas empresas – especialmente as grandes – que têm uma alta taxa de robotização, mas têm um problema de engarrafamento. O 5G resolve isso.

A baixa latência também será uma das chaves para a operação de carros autônomos. Agora, essa tecnologia está em sua infância, mas com a expansão do 5G, será possível fazer rotas em tempo real para obter remessas mais rápidas e eficientes.

A chave será ser capaz de realizar rotas não tripuladas devido ao alto nível de previsão que será alcançado graças à velocidade dos dados e à inteligência artificial. Usuários da estrada, sensores de infraestrutura urbana e outros veículos poderão se comunicar com o carro conectado.

Como os drones vão revolucionar as entregas por delivery?

A Amazon apresentou em um vídeo como funciona seu revolucionário sistema de entrega, chamado Amazon Prime Air.

Em resumo, uma vez que a compra on-line tenha sido feita pelo cliente, um funcionário vem depositar o produto encomendado em um recipiente de plástico e o coloca em uma esteira na qual o drone irá buscá-lo para decolar imediatamente.

Como resultado, em menos de 30 minutos, o cliente está de posse de seu pedido. Apenas algumas restrições físicas: que o pacote pese menos de 2,5 kg (o peso máximo de 86% dos pedidos na plataforma on-line, de acordo com o presidente da Amazon), e esteja a menos de quinze quilômetros de uma plataforma de armazenamento da Amazon.

A start-up californiana Matternet está desenvolvendo pequenos drones autônomos capazes de fornecer medicamentos para regiões onde as redes de comunicação são pouco desenvolvidas, mal conservadas ou inexistentes.

Em termos concretos, a empresa espera poder enviar tratamentos para clínicas isoladas na África, mas também transitar exames de sangue e resultados de exames de um laboratório para um hospital sem depender das condições da estrada ou do transporte público.

Diante desses acontecimentos, fica claro que o mundo não será o mesmo depois que os drones estiverem em ação com o seu pleno potencial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.